Esta página disponibiliza as classificações estatísticas nacionais, para temas selecionados, usadas no sistema estatístico e nos cadastros administrativos do País e as classificações internacionais a elas associadas.

A classificação mais utilizada nas estatísticas de saúde é a Classificação Internacional de Doenças e de Problemas Relacionados à Saúde - CID, atualmente em sua décima versão. Este é um caso em que o sistema estatístico nacional adota a mesma classificação utilizada internacionalmente (International Classification of Diseases and Related Health Problems – ICD -10).

Uma classificação de doenças pode ser definida como um sistema de categorias atribuídas a entidades mórbidas segundo algum critério estabelecido. Uma classificação estatística de doenças precisa incluir todas as entidades mórbidas dentro de um número manuseável de categorias.

A CID-10 foi aprovada pela Conferência Internacional para a Décima Revisão, em 1989, e adotada pela Quadragésima Terceira Assembléia Mundial de Saúde, que estabeleceu que a mesma entraria em vigor em 1° de janeiro de 1993. A revisão periódica da CID, desde sua sexta revisão, vem sendo coordenada pela Organização Mundial de Saúde - OMS.

Nessa nova versão da CID surgiu o conceito de "família" de classificações, tendo como núcleo central a tradicional CID com sua forma e estrutura já conhecidas. A CID, em si mesma, atenderia às necessidades de informação diagnóstica para as finalidades gerais, enquanto várias outras classificações seriam usadas em conjunto com ela e tratariam de informações complementares, principalmente procedimentos médicos e cirúrgicos e incapacidades.

A Organização Mundial de Saúde - OMS é responsável pela gestão e manutenção da Classificação Internacional de Doenças, com a participação de especialistas de inúmeros países.


© 2017 IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística